Sábado, 06 de Junho de 2020
Brasil

Governo do Ceará prorroga suspensão de aulas presenciais por mais 30 dias como medida de combate ao novo coronavírus

Decreto inclui atividades presenciais em escolas, cursos, faculdades e universidades de qualquer natureza, pública ou privada

Publicada em 31/03/20 às 12:19h

por Hyngrydy Ferreira


Compartilhe
   

Link da Notícia:

 (Foto: Reprodução Internet)
O governador do Ceará Camilo Santana decretou nesta terça-feira (31) mais 30 dias de suspensão de aulas presenciais em escolas e universidades públicas e particulares, já que o prazo do cancelamento anterior está terminando. Portanto, com a prorrogação de mais 30 dias, as aulas voltam em 4 de maio.

A rede particular pode aproveitar esse período para férias ou adotar aulas remotas. Nas escolas públicas, não haverá férias, e sim, aulas a distância, de acordo com a Secretaria da Educação (Seduc).

O novo decreto abrange atividades presenciais em escolas, cursos, faculdades, universidades públicas ou privadas. "Informo aos cearenses minha decisão de prorrogar a suspensão das aulas presenciais no Ceará por mais trinta dias, em razão da pandemia do coronavírus. A decisão vale para escolas, cursos, faculdades e universidades públicas e privadas. Todas as decisões que tenho tomado são baseadas em estudos científicos, e visam proteger ao máximo a população do Ceará", afirmou Camilo em rede social nesta manhã.

Em 16 de março, o governador havia anunciado a suspensão de aulas por 15 dias a partir de quinta-feira (19). No sábado, Camilo havia anunciado que comércio e serviços não essenciais estão proibidos de funcionar até 5 de abril.

382 casos

O número de casos de novo coronavírus no Ceará é de 382, de acordo com o informe epidemiológico da secretaria da Saúde (Sesa) desta segunda-feira (30). Não houve alteração no número de mortos, com 5 casos confirmados.

O informe registra 353 casos em Fortaleza. Outros 11 municípios cearenses também já contabilizam detectados com a doença. São eles: Aquiraz (14), Beberibe (1), Caucaia (1), Fortim (1), Itaitinga (1), Juazeiro do Norte (1), Maracanaú (1), Maranguape (1), Mauriti (1), Quixadá (2) e Sobral (5).

No Brasil, são 159 mortes e 4.579 casos, de acordo com o balanço do Ministério da Saúde desta segunda-feria. O Sudeste tem 2.507 casos, 55% do total, sendo 1.451 casos em São Paulo.

Do 382 casos confirmados até o momento, 33 estão internados em hospitais, sendo 32 em Fortaleza e um em Juazeiro do Norte. Este último e outros 13 da capital estão em enfermarias. Os outros 19 encontram-se em unidades de terapia intensiva (UTIs). Além disso, outras 13 pessoas já receberam alta hospitalar.

Decreto de fechamento

O decreto do governo estadual que proíbe o funcionamento de diversos comércios e estabelecimentos inclui:

Bares, restaurantes, lanchonetes e estabelecimentos congêneres;
Templos, igrejas e demais instituições religiosas;
Museus, cinemas e outros equipamentos culturais, público e privado;
Academias, clubes, centros de ginástica e estabelecimentos similares;
Lojas ou estabelecimentos que pratiquem o comércio ou prestem serviços de natureza privada;
“Shopping center”, galeria/centro comercial e estabelecimentos congêneres, salvo quanto a supermercados, farmácias e locais que prestem
Serviços de saúde no interior dos referidos dos estabelecimentos;
Feiras e exposições;
Indústrias, excetuadas as dos ramos farmacêutico, alimentício, de bebidas, produtos hospitalares ou laboratoriais, obras públicas, alto forno, gás, energia, água, mineral, produtos de limpeza e higiene pessoal, bem como respectivos fornecedores e distribuidores.
O governador disse que tomou a decisão de prorrogar o decreto de fechamento do comércio e serviços após várias reuniões com áreas técnicas do governo e setor produtivo. "Eu, após todas essas reuniões, ouvindo, sei que é importante a preocupação do setor produtivo com a economia, negócios, essa preocupação é nossa também mas nesse momento o que deve prevalecer, e não tenho dúvida que estou tomando a decisão que considero mais correta nesse momento, é proteger o cearense", disse Camilo.

Resumo das medidas estaduais

A primeira leva de medidas estaduais contra o avanço do coronavírus foi a criação, em decreto, de um comitê para tratar da questão, em 13 de março. Em seguida vieram mais dois decretos, um deles três dias depois estabelecendo situação de emergência em saúde e suspensão das aulas, e o outro, no dia 19 de março, ainda mais rigoroso, proibindo a abertura de bares e diversas atividades. Prazos fiscais e tributários também foram prorrogados.


Fonte:g1.com



ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (88) 9.9244-8697

Visitas: 7560463
Usuários Online: 968
Copyright (c) 2020 - Ferreira Júnior News